Jovens matam vários muçulmanos durante orações na Nigéria

Gangues de jovens armados na volátil cidade nigeriana de Jos atacaram muçulmanos que celebravam o último dia do mês sagrado do Ramadã nesta segunda-feira, matando um número deles e queimando seus carros, disseram testemunhas e o Exército.

REUTERS

29 de agosto de 2011 | 21h38

A cidade, que está entre o norte, de maioria muçulmana, e o sul, predominantemente cristão, tem sido um ponto de tensão étnica e sectária entre as duas fés.

Se a violência piorar ou provocar represálias, pode dar outra dor de cabeça ao presidente Goodluck Jonathan, cujas forças de segurança já estão lidando com ataques diários de uma seita islâmica no nordeste do país, que assumiu a responsabilidade por um ataque mortal a bomba contra o escritório da ONU, na sexta-feira, que matou 23 pessoas em Abuja.

"Os fiéis muçulmanos estavam participando das orações do Eid e no fim das orações eles foram cercados pelos jovens naquela área", afirmou o general-brigadeiro Hassan Umaru, comandante da Força Tarefa Especial responsável pela segurança em Jos, à Reuters por telefone.

"Eles queimaram alguns carros, um bom número de carros. Ainda não posso dar o número de pessoas queimadas. Ainda estamos checando com as fontes do hospital local", acrescentou ele, afirmando que havia vários mortos.

Uma testemunha da Reuters viu vários corpos, e pelo menos um estava carbonizado.

Mais de 200 grupos étnicos vivem lado a lado no país africano. Embora geralmente pacífica, a Nigéria tem visto casos periódicos de violência religiosa. Jos, em especial, tem concentrado os confrontos.

Ao menos 80 pessoas foram mortas nesta cidade em 24 de dezembro em ataques a bomba e confrontos entre jovens muçulmanos e cristãos.

(Reportagem de Bello Buhari)

Tudo o que sabemos sobre:
NIGERIAMULCUMANOSMORREM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.