Jovens são enviadas a campos de detenção

Duas integrantes da banda Pussy Riot, condenadas por protestar contra o presidente Vladimir Putin, foram enviadas para campos de detenção longe de Moscou. Segundo ativistas, Maria Alyokhina foi para Mordóvia, a 500 quilômetros da capital, e Nadezhda Tolokonnikova, para Perm, nos Montes Urais, a 1.100 quilômetros de Moscou. Os campos eram usados como presídios na era soviética. A terceira integrante, Yekaterina Samutsevich, foi liberada após recurso - seu advogado argumentou que ela não participou do protesto.

O Estado de S.Paulo

23 de outubro de 2012 | 03h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.