Juan Carlos é o sexto rei a abdicar na Espanha

Carlos V de Habsburgo foi o primeiro a renunciar ao trono, no século XVI; pai e avô do atual monarca também desistiram da coroa

O Estado de S. Paulo

02 de junho de 2014 | 14h34

" STYLE="FLOAT: LEFT; MARGIN: 10PX 10PX 10PX 0PX;

MADRI -  Juan Carlos de Bourbon é o sexto rei espanhol a abdicar do trono ao longo da história da monarquia. O primeiro foi Carlos V de Habsburgo, que governou no século XVI a Espanha, os Países Baixos e o Sacro Império Romano-Germânico. Em 1556, abdicou do trono espanhol e dos países baixos em favor de Felipe II. O Sacro Império ficou com seu outro filho, Fernando. 

Já na dinastia de Bourboun, Felipe V, abdicou em 10 de janeiro de 1724 em favor de seu filho Luis I, que morreu por uma doença oito meses depois, obrigando seu pai a retornar ao trono até sua morte, em 1746.

Em 1931, Alfonso XIII deixou a Espanha após a proclamação da Segunda República. Ele abdicaria formalmente ao trono dez anos depois, em favor de seu filho Juan, pai de Juan Carlos. Na maior do século XX, no entanto, o país foi governado pelo ditador Francisco Franco. Em 1977, Juan abdicou em favor de Juan Carlos, que tornou-se peça importante na transição da ditadura para a monarquia constitucional. 

A vitória de partidos republicanos nas eleições municipais em 1931 acabou ocasionando a abdicação de Alfonso XIII e a imediata proclamação da República. Exilado em Roma, Alfonso XIII abdicou em favor de seu terceiro filho, Juan de Bourbon, pouco antes de morrer.

Juan de Bourbon nunca chegou a reinar e em 1977 apresentou oficialmente a renúncia aos seus direitos ao trono perante seu filho, o rei Juan Carlos, que já era chefe do Estado desde 1975, após a morte do ditador Francisco Franco. / EFE

Mais conteúdo sobre:
EspanhaJuan Carlos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.