Judeus celebram o Iom Kipur, o Dia do Perdão na religião

A população judaica de Israel lembra a partir da noite deste domingo o Iom Kipur (Dia do Perdão), a data maissagrada do calendário hebraico, em meio a extremas medidas de segurança e com os territórios de Gaza e da Cisjordânia fechados.O Exército israelense decretou neste domingo o fechamento dos territórios palestinos durante 48 horas. A Polícia ficará em estado de alerta máximo como ocorre desde o começo da Intifada de Al-Aqsa em 2000.A jornada coincide também com a retirada, na madrugada deste domingo, das últimas forças israelenses que estavam no Líbano desde o dia 12 de julho, quando explodiu um conflito de 34 dias que terminou graças a um cessar-fogo com a guerrilha Hezbollah no dia 14 de agosto.No Iom Kipur, cuja celebração é mencionada no Levítico (livro das Escrituras Hebraicas), os judeus de Todo o mundo costumam seguir um severo jejum de 26 horas e participar de prolongadas orações nas sinagogas.Para os judeus mais seculares, o Iom Kipur é um dia de descanso. Por conta disso, do fechamento de todos os lugares de lazer e da falta de uma programação nos canais de televisão, neste domingo é quase impossível encontrar algum filme numa locadora de vídeo.A tradição judaica descreve o Iom Kipur como o "Sábado dos sábados". Esse era o único dia do ano no qual o Grande Sacerdote entrava no sancta sanctorum do bíblico Templo de Jerusalém e pronunciava o nome proibido de Deus - Jeová - a milhares de judeusAjoelhados. Em Israel, todas as atividades serão interrompidas antes do pôr do Sol, quando também serão fechadas todas as fronteiras internacionais e milhares de judeus irão para suas sinagogas com sapatos de lona - como exige a tradição - e seus mantos de reza.Pelas ruas, circularão apenas patrulhas da Polícia e veículos de emergência, o que permitirá que as crianças saiam de casa com suas bicicletas e patins. Esta é uma tradição que surgiu no moderno Estado de Israel, já que o Dia do Perdão é dedicado, na realidade, ao arrependimento, à purificação e à reconciliação.Por isso, as orações começarão hoje com a prece do "Kol Nidre" (Todos os Votos), na qual os judeus pedem que Deus anule todas as promessas pessoais não cumpridas do último ano.Antes de todos os homens entrarem no templo para recitar a prece de pé, os pais abençoarão seus filhos desejando-lhes que sejam inscritos no "Livro da Vida".As preces vão terminar na segunda-feira à noite, quando aparecerem as três primeiras estrelas no firmamento e for soado o "shofar", um instrumento bíblico de sopro feito com o chifre de um carneiro, com o qual os judeus pedem a Deus que perdoe todos os seus pecados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.