Judiciário dos pede fundos de emergência à Casa Branca

O judiciário federal dos Estados Unidos pediu fundos de emergência à Casa Branca que, segundo funcionários da Justiça, são necessários para evitar cortes de pessoal. Além disso, eles alegam que o dinheiro ajudará a cobrir a defesa legal do suspeito do ataque à Maratona de Boston, entre outras questões.

Agência Estado

16 de maio de 2013 | 08h34

Autoridades judiciais pediram cerca de US$ 73 milhões em uma carta, datada de 14 de maio, para o diretor do Escritório de Administração e Orçamento da Casa Branca, citando "necessidades críticas" decorrentes de cortes no orçamento federal conhecidos como cortes automáticos de custos.

O montante inclui US$ 31,5 milhões para salários e despesas judiciais; US$ 27,7 milhões para garantir que os advogados que participam de programas de defesa de indigentes sejam pagos durante o ano fiscal que termina em 30 de setembro; US$ 8,7 milhões para evitar cortes de pessoal e licenças em escritórios federais de defensores públicos; US$ 5 milhões para custos de defesa e de especialistas em casos de "grande ameaça" em Boston e Nova York, de acordo com a carta.

A Casa Branca não respondeu imediatamente a um pedido de comentário. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAJudiciárioemergênciafundos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.