Juiz adia execução de mulher no Texas

Promotores do Texas informaram que não entrarão com recurso contra a decisão de um juiz do Estado de adiar a execução de uma mulher, que estava programada para a noite desta terça-feira. Kimberly McCarthy teria sido a primeira mulher a ser executada nos Estados Unidos desde 2012.

AE, Agência Estado

29 de janeiro de 2013 | 19h09

O juiz distrital Larry Mitchell emitiu o adiamento da execução de McCarthy, de 51 anos, menos de cinco horas antes do horário previsto para sua morte, por causa do assassinato de um vizinho, em 1997.

A promotora assistente do condado de Dalas, Shelly Yeatts, informou que a execução de McCarthy será em 13 de abril.

Os advogados de defesa da ré afirmam que o júri que a condenou foi selecionado de forma inapropriada, tendo como base sua cor. McCarthy é negra e 11 pessoas brancas e uma negra compuseram o júri que a condenou. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUATexasexecuçãomulher

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.