Juiz antiterrorista avalia que risco de atentado é ´elevado´

O juiz antiterrorista francês Jean-Louis Bruguière considera que o risco de grupos como Al Qaeda ou os salafistas cometerem atentados no país é "elevado", embora lembre que desde 1996 não ocorrem ataques em território nacional. Em entrevista publicada neste domingo pelo jornal Sud Ouest, Bruguière afirmou que "a vontade de grupos terroristas de atingir a França está intacta".Bruguière ressaltou que, após o conflito no Líbano do ano passado, dirigentes da Al Qaeda ameaçaram a França no mesmo nível que os ataques aos Estados Unidos, "e se sabe que alguns anúncios midiáticos são seguidos por uma ação".Um fator de inquietação é a "aliança objetiva" entre a Al Qaeda e os argelinos do Grupo Salafista para a Pregação e o Combate (GSPC), segundo o juiz francês, para quem a França "não está protegida de um grande atentado, sobretudo em período eleitoral", referindo-se às eleições presidenciais e legislativas deste ano.Um risco está no fato de que, segundo sua opinião, os grupos violentos estão cada vez mais disseminados e isso pode dar lugar a "iniciativas individuais".No entanto, Bruguière assegura que o dispositivo antiterrorista francês é bom e eficaz e é visto com interesse por britânicos e americanos. "A prova é de que não tivemos atentados na França desde 1996", quando uma bomba explodiu em um trem de subúrbio de Paris, matou quatro pessoas e deixou quase cem feridos.Apesar das advertências, Bruguière se mostrou satisfeito com a cooperação internacional em matéria de luta contra o terror.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.