Juiz aposentado é condenado à morte na China

Magistrado admitiu ter matado e esquartejado uma pessoa no inícío do ano

Efe

22 de setembro de 2010 | 02h49

PEQUIM - Nesta quarta-feira, 22, um juiz aposentado que ocupou um alto cargo na magistratura da província de Zhejiang, leste da China, foi condenado à morte por assassinato, informaram os tribunais locais.

Pan Huashan, antigo magistrado chefe do Alto Tribunal Provincial de Zhejiang, admitiu no processo ter matado e esquartejado uma pessoa no último mês de janeiro, segundo a agência Xinhua.

O corpo de um homem de 67 anos, de sobrenome Qian, foi descoberto em 26 de janeiro na cidade de Linan, e uma investigação que durou seis meses determinou que Pan tinha cometido o assassinato após discutir com a vítima por um litígio. O ex-juiz foi detido no dia 1º de agosto.

A China é o país que dita mais sentenças de morte por ano, com 1.067 execuções contabilizadas pela ONG Anistia Internacional em 2008, embora outras fontes assinalem que o número real fique acima das oito mil.

Outro juiz do Alto Tribunal Provincial de Zhejiang suicidou nesta terça-feira, ao se enforcar em seu escritório, informou a agência Xinhua.

Ao menos por enquanto, as informações não relacionam este fato com o anterior. O juiz Tong Zhaohong, de 55 anos, sofria de forte depressão há dis meses, segundo a nota oficial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.