Juiz chileno congela bens de Pinochet

O jornal chileno El Mercurio informa que o juiz Sergio Muñoz, do Tribunal de Recursos de Santiago, determinou o congelamento dos bens do ex-ditador Augusto Pinochet. O tribunal alegou que não poderia confirmar nem negar essa informação, porque as investigações ainda estão em andamento. De acordo com El Mercurio, Muñoz emitiu a ordem de congelamento dos bens de Pinochet na última sexta-feira. O juiz foi nomeado para investigar a origem dos bens do ex-ditador depois de um comitê do Senado dos Estados Unidos ter relatado que ele mantinha contas secretas no Riggs Bank, em Seattle, no valor aproximado de US$ 8 milhões. Depois disso, a Receita Federal chilena abriu um processo contra Pinochet, na tentativa de receber US$ 3,4 milhões em impostos atrasados. O Conselho de Defesa do estado chileno, por sua vez, pediu a Muñoz que investigasse se o ex-ditador poderia ser acusado de lavagem de dinheiro. No começo da semana, Pablo Rodriguez, um dos advogados de Pinochet, disse que ele "não roubou um único peso de ninguém, muito menos do Estado chileno". Admitiu, porém, que algumas contas bancárias de seu cliente foram abertas sob pseudônimos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.