Juiz concede liberdade sob fiança a Pinochet

O juiz Juan Guzmán concedeu nestasegunda-feira liberdade provisória sob fiança ao ex-ditadorAugusto Pinochet, que se encontra em prisão domiciliar desde 31de janeiro. Mas a decisão judicial ainda terá de ser aprovadapela Corte de Apelações de Santiago. A fiança estipulada pelo juiz foi de 2 milhões depesos chilenos, o equivalente a US$ 3.450. O juiz Guzmán não explicou as razões de sua súbitadecisão de libertar o ex-ditador de 85 anos após 40 dias deconfinamento em sua casa de campo a 130 km a sudoeste deSantiago. Cerca de 200 de seus simpatizantes, que foram no domingosaudar o general, só puderam ver a distância um sorridentePinochet, apoiado numa bengala e cercado de guarda-costas,quando este se dirigiu ao meio-dia à capela de sua casa de campoem Los Boldos para assistir à missa. O ex-mandatário pareciaestar em boas condições de saúde e respondeu às saudações deseus partidários. A liberdade do ex-ditador foi ordenada pelo magistradoquatro dias após a Corte de Apelações de Santiago rebaixar suaresponsabilidade, de "autor" para "acobertador", no caso de57 homicídios e 18 seqüestros cometidos em outubro de 1973 peladenominada Caravana da Morte. A decisão tomada hoje por Guzmán deverá ser ratificadapela Corte de Apelações quando esta for reaberta na terça ouquarta-feiras. A mesma Sala do tribunal que decidirá sobre a liberdadeprovisória concedida a Pinochet deverá analisar e resolver arespeito de uma petição apresentada por sua defesa para que seujulgamento seja arquivado por razões de saúde. Os advogados de Pinochet sustentam que, devido à suademência vascular moderada, diagnosticada por uma equipe deespecialistas, o ex-ditador não está em condições de enfrentarum processo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.