Divulgação/DEA/AP
Divulgação/DEA/AP

Juiz determina prisão preventiva de 'mercador da morte' nos EUA

Em primeira audiência após extradição da Tailândia, Viktor Bout se declara inocente

estadão.com.br,

17 de novembro de 2010 | 18h50

NOVA YORK - O ex-militar russo Viktor Bout, apelidado de 'mercador da morte', se declarou inocente em uma audiência em Nova York nesta quarta-feira, 17. O juiz federal Shira Scheindlin determinou sua prisão preventiva. Ele deve comparecer à nova audiência no próximo dia 10 de janeiro.

Ele é acusado pelo governo americano de tráfico internacional de armas e terrorismo. Bout foi extraditado da Tailândia na terça-feira.

"O mercador da morte está agora sob custódia", disse o promotor público Preet Bhara. "Ninguém deveria pensar que se pode conspirar para matar americanos impunemente".

O acusado, que vestia camisa marrom e calças negros, se declarou inocente por meio de um intérprete e respondeu educadamente às perguntas do juiz.

Na terça-feira, o secretário de Justiça, Eric Holder, acusou Bout de ser um dos traficantes de armas mais ativos do mundo. "Sua atividade como traficante de armas e seu apoio a conflitos armados na África foram motivo de preocupação em todo o mundo", afirmou, em comunicado.

O russo, que foi retratado no filme 'O senhor das armas', de 2005, estrelado por Nicholas Cage, é acusado de fornecer armas para as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e para ditaduras da África nos anos 1990. Se condenado, ele pode pegar prisão perpétua.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.