Juiz do Hamas é morto a tiros na frente de tribunal de Gaza

Homens armados não identificados retiraram um juiz que é membro do movimento islâmico Hamas de um táxi e o mataram a tiros nesta quarta-feira, na frente do tribunal onde ele trabalhava em Gaza, aumentando os temores de uma guerra civil palestina.Dirigentes da facção Hamas, que está no governo, disseram que Bassam al-Fara, 28, era juiz em uma corte civil, mas também membro do braço armado do grupo.Testemunhas que não quiseram ser identificadas disseram à Reuters que os homens armados tomaram café-da-manhã em um restaurante perto do local da morte, na cidade de Khan Younis, enquanto esperavam pela chegada de Fara. Eles dispararam à queima-roupa depois de tirá-lo do carro. A tensão e a violência vêm crescendo em Gaza e na Cisjordânia ocupada entre o Hamas e a facção rival Fatah, do presidente Mahmoud Abbas, depois do fracasso para a formação de um governo de união nacional.A crise palestina aumentou nesta semana, quando três filhos pequenos de um dos principais assessores de inteligência de Abbas foram mortos em Gaza, na segunda-feira.Nenhum grupo assumiu a responsabilidade pela morte do juiz. O Hamas, que acusa a Fatah de tentar derrubar seu governo, emitiu um comunicado atribuindo o ocorrido a um "esquadrão da morte" da Fatah."Os membros da Fatah que querem um golpe têm a responsabilidade por todas as ações de caos que estão acontecendo nas ruas palestinas", disse à Reuters o deputado do Hamas Mushir al-Masri.Tawfiq Abu Khoussa, porta-voz da Fatah, criticou o Hamas por culpar a facção do presidente Abbas, que já dominou o governo palestino."Os irmãos no Hamas devem ser corretos e não jogar acusações rápidas antes de um investigação, que ainda não começou", disse.Moradores disseram que a família Fara é um dos maiores clãs em Khan Younis, uma das cidades mais voláteis em Gaza.Com reportagem de Mohammed Assadi em Ramallah

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.