Juiz espanhol acusa 2 russos chechenos de terrorismo

Dois russos, presos por supostamente planejar um ataque à Espanha e a outros países europeus, foram acusados por um juiz espanhol de pertencer a uma organização terrorista. O Juiz Pablo Ruz, da Audiência Nacional, ordenou que os dois homens continuem presos até que se decida a data da próxima etapa do processo judicial, informou em comunicado o Tribunal Superior da Espanha.

AE, Agência Estado

05 de agosto de 2012 | 20h26

De acordo com o texto, Ruz disse que há evidências que vinculam os russos a outras pessoas envolvidas em organizações terroristas. Os dois acusados, de origem chechena, foram levados ao tribunal por veículos escuros, que eram escoltados por policiais encapuzados.

Um homem turco, que tinha ligação com os suspeitos, foi acusado de possuir artefatos que supostamente seriam utilizados em um ataque terrorista. O ministro do Interior, Jorge Fernández Díaz, afirmou que os dois russos são suspeitos de serem membros da Al-Qaeda e disse que o turco é suspeito de ser facilitador do grupo terrorista. Nenhum dos suspeitos teve o nome divulgado.

O turco foi preso na quinta-feira em uma cidade no sul da Espanha, enquanto os russos foram detidos na quarta-feira quando viajavam de ônibus rumo à fronteira com a França. O suspeito turco trabalhou vários anos no ramo da construção em Gibraltar, território britânico localizado no extremo sul da Península Ibérica. A polícia espanhola confiscou o material explosivo que encontrou na casa dele, na cidade de La Línea, fronteira com a colônia britânica. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Espanhaterror

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.