Juiz expulsa Saddam Hussein do tribunal

O ex-presidente iraquiano, Saddam Hussein, deixou o tribunal minutos depois do reinício de seu julgamento neste domingo, em Bagdá. O tumulto começou depois que o novo juiz, Raouf Abdul Rahman, determinou a expulsão de Barzan al Tikrit, meio-irmão do ex-ditador, da sala do tribunal.Al Tikrit, que também está sendo julgado, sofre de câncer e se queixou no tribunal do tratamento que vem recebendo. O juiz disse que as queixas seriam investigadas, al Tikriti continuou a reclamar. Foi alertado pelo juiz que deveria parar com o discurso, mas diante da insistência de al Tikriti determinou sua expulsão.Acusados pelo juiz de contribuírem para que os réus se sintam no direito de desrepeitar a corte, os advogados de defesa deixam a sala do tribunal. "Nenhum advogado que deixou a sala terá autorização para retornar", afirmou o juiz. Foi quando Saddam acusou o juiz de abusar de seus direitos de réu. Em resposta, Raouf Abdul Rahman ordenou a retirada do ex-líder, que deixou a sala aos gritos. "Abaixo os traidores" e "Abaixo os Estados Unidos", esbravejava Saddam. O julgamento prosseguiu. Saddam Hussein, seu meio-irmão e outros e outros seis réus são acusados de ter planejado um massacre na cidade de Dujail, em 1982, quando 148 pessoas morreram e, se condenados, poderão receber pena de morte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.