Chip Somodevilla/Getty Images/AFP
Chip Somodevilla/Getty Images/AFP

Juiz indicado por Trump para Suprema Corte teve dívidas de milhares de dólares em cartões de crédito

Brett Kavanaugh comprou diversos ingressos para ver jogos da equipe de beisebol Washington Nationals; segundo documentos, os débitos foram saldados em 2017 ou os valores estavam abaixo dos limites para declará-los

O Estado de S.Paulo

12 Julho 2018 | 07h12
Atualizado 12 Julho 2018 | 15h33

WASHINGTON - O juiz indicado à Suprema Corte dos Estados Unidos nesta semana pelo presidente Donald Trump, Brett Kavanaugh, assumiu milhares de dólares em dívidas nos seus cartões de crédito em razão da compra de ingressos para jogos da equipe de beisebol Washington Nationals.

Por vezes, Kavanaugh reportou passivos que podem ter excedido o valor de suas contas em dinheiro e ativos de investimento, segundo informações divulgadas pela Casa Branca. Em 2016, Kavanaugh declarou ter uma dívida entre US$ 60 mil e US$ 200 mil divididos entre três cartões de crédito e um empréstimo pessoal. Ela seria superior aos ativos declarados, entre US$ 15 mil e US$ 65 mil, que não incluem sua casa - adquirida por US$ 1,2 milhão e com uma hipoteca de US$ 865 mil - e um fundo de aposentadoria de aproximadamente US$ 500 mil.

+ Trump indica juiz conservador para Suprema Corte dos EUA

+ Trump quer fim de cotas raciais em universidades dos EUA

Conforme o porta-voz da Casa Branca Raj Shah, em entrevista ao Washington Post, Kavanaugh acumulou dívidas ao comprar ingressos de temporada e playoffs do Washington Nationals para ele e alguns amigos. Shah afirmou que parte das despesas foi destinada à realização de obras em sua residência.

+ Comediante diz que enganou a Casa Branca e falou com Trump

+ Aposentadoria de juiz moderado abre porta para Trump deixar Suprema Corte mais conservadora

Segundo as informações da Casa Branca, Kavanaugh tinha saldado as dívidas ou os valores estavam abaixo dos limites para declará-las em 2017. O relatório financeiro não dá detalhes sobre a natureza ou a origem dos pagamentos.

Shah disse ao Post que os amigos de Kavanaugh o reembolsaram por suas respectivas partes nos ingressos de futebol e, desde então, o juiz parou de comprar ingressos de temporada. Os nomes dos amigos ou detalhes sobre os ingressos não foram divulgados. Kavanaugh, que é publicamente conhecido como um torcedor do Nationals, se recusou a comentar.

Segundo Shah, os ingressos foram pagos no final de 2016 e liquidados no começo do ano seguinte. "Ele não mantinha esse tipo de dívida ano após ano."

Os preços dos pacotes de ingressos de temporada podem variar muito, dependendo de sua localização no estádio. Alguns assentos podem custar até US$ 6 mil para cada um dos 81 jogos da temporada de beisebol.

Os documentos da divulgação financeira de Kavanaugh revelam ativos reportáveis entre US$ 15 mil e US$ 65 mil, o que o colocaria na parte mais inferior do ranking financeiro dos juízes da Suprema Corte, cuja maioria lista mais de US$ 1 milhão em ativos. Os valores das residências dos juízes não está sujeito a divulgação.

+ Saiba como funciona a indicação para a Suprema Corte em sete países

Shah acrescentou que o juiz ainda tem uma conta de aposentadoria governamental no valor de quase meio milhão de dólares. "Neste momento, os Kavanaugh não têm dívidas além de suas hipotecas residenciais", disse o porta-voz. Segundo ele, o juiz tem ativos de quase US$ 1 milhão de patrimônio entre sua casa e sua conta de aposentadoria.

Ao contrário de outros juízes, Kavanaugh trabalhou mais de duas décadas no setor público e não acumulou riquezas como advogado particular. "O juiz Kavanaugh é um brilhante jurista que dedicou sua vida ao serviço público", disse o funcionário.

Como funciona a lei.

As informações financeiras divulgadas publicamente têm limitações. Por exemplo, os juízes não relatam o valor de suas residências primárias, fazendo com que estimativas de patrimônio líquido possam chegar a números inferiores aos valores reais. A divulgação dessas informações é feita para fornecer transparência e evitar conflitos de interesse envolvendo os juízes e aqueles que se apresentam perante o tribunal.

A lei federal americana exige a divulgação dos formulários em intervalos amplos e pede que os registros incluam os ativos dos cônjuges de seus funcionários. Assim, a identificação da situação financeira exata de um indivíduo é praticamente impossível.

No entanto, no caso de Kavanaugh, as informações apontaram a diferença nítida entre suas finanças e a de seus futuros colegas de Corte. Ele tem apenas dois tipos de ativos: contas no Bank of America e o fundo de aposentadoria de sua esposa no Texas, o que totaliza entre US$ 15 mil e US$ 65 mil.

Os registros não incluem sua casa, que comprou em 2006, por US$ 1,2 milhão. Arquivos imobiliários públicos indicam que o casal refinanciou suas hipotecas por duas vezes, a mais recente em 2015. Atualmente, o valor penhorado é de US$ 865 mil.

Registros financeiros passados revelam que o juiz manteve dívidas significativas com cartão de crédito por mais de uma década. Ele declarou dívidas entre US$ 60 mil e US$ 200 mil em três cartões diferentes e um empréstimo em 2006, ano em que foi confirmado para o Tribunal de Apelações dos EUA no circuito de Washington D.C.

Sem incluir residências, Kavanaugh fica em último lugar no ranking de ativos dos membros da Suprema Corte, consideradas as informações divulgadas em 2017 pelo site Fix the Court, dedicado ao incentivo da transparência no poder judiciário americano.

O juiz Clarence Thomas, por exemplo, tem ativos entre US$ 695 mil e US$ 1,7 milhão, o menor valor entre os juízes. O juiz Anthony Kennedy, cuja vaga pode ser ocupada por Kavanaugh, tem ativos ao menos 10 vezes superior ao de Kavanaugh.

O último juiz a integrar a Suprema Corte, Neil Gorsuch, declarou ativos entre US$ 3,6 milhões e US$ 10,5 milhões. O membro da Corte com os valores mais altos foi Stephen Bryer, que registrou números entre US$ 6,4 milhões e US$ 16,6 milhões.

Juízes federais recebem salários anuais de cerca de US$ 220 mil. Kavanaugh suplementou seu salário dando aulas em Harvard em 2017, com cerca de US$ 27 mil a mais. Juízes associados da Suprema Corte recebem US$ 255 mil, enquanto o presidente do Tribunal, atualmente o juiz John Roberts Jr. recebe US$ 267 mil.

Os Kavanaugh moram na vila de Chevy Chase. A mulher do juiz, Ashley Kavanaugh, recebe anualmente US$ 66 mil. O casal tem duas filhas, que estudam na escola particular católica do Santíssimo Sacramento, onde a mensalidade é de US$ 10025 por criança.

Um assento na Suprema Corte americana pode fornecer fontes adicionais de renda. Logo após sua nomeação em 2009, a juíza Sonia Sotomayot anunciou seus planos para publicar um livro de memórias, lançado em 2013. No ano passado, ela registrou mais de US$ 117 mil de receita vinda da editora Penguin Random House e recebeu um adiantamento de US$ 1,2 milhão da empresa.

Além disso, viagens e bolsas acadêmicas também podem fornecer renda adicional. A juíza Ruth Ginsburgh recebeu US$ 25 mil como bolsas visitante na Universidade de Stanford no ano passado. / W. POST

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.