Juiz italiano manda soltar 28 suspeitos de terrorismo

Um juiz de Nápoles ordenou a libertação de 28 paquistaneses detidos numa operação realizada num apartamento onde as autoridades locais disseram ter encontrado explosivos, mapas de uma base da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e uma fotografia de jornal de um militar britânico de alta patente.Um dos advogados de defesa, Gennaro Razzino, disse que o juiz Ettore Favara determinou, numa audiência, que havia razão para acreditar que os paquistaneses não sabiam que havia explosivos escondidos no apartamento onde alugavam quartos.Jornais locais informaram que o apartamento era de propriedade de mafiosos.A TV estatal RAI informou que a própria promotoria pediu ao juiz que libertasse 17 dos 28 suspeitos.Razzino esclareceu que o indiciamento contra os paquistaneses segue vigente, e as investigações continuam em andamento.Os 28 foram detidos em 30 de janeiro, sob acusações de associação ilícita com o objetivo de promover terrorismo internacional e por porte ilegal de substâncias explosivas.A polícia promoveu a operação como parte de uma repressão contra imigrantes ilegais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.