Juiz manda prender freiras que atacaram silo de míssil

Declarando-as ?perigosamente irresponsáveis?, um juiz federal americano condenou três freiras a um mínimo de dois anos e meio de prisão, por vandalismo contra um silo de míssil nuclear, durante um protesto pacifista. A despeito das palavras duras, o juiz ficou a sentença abaixo do mínimo legal, de seis anos. Das três irmãs dominicanas, Jackie Hudson, 68 anos, pegou dois anos e meio, Carol Gibert, 55 anos, a dois anos e nove meses e Ardeth Platte, 66 anos, a três anos e cinco meses. As três religiosas tinham sido condenadas, em abril, por obstruir a defesa nacional e danificar propriedade do governo. As freiras cortaram uma cerca de arame e caminharam até o silo de um míssil Minuteman III, em outubro de 2002. Elas bateram no silo com um martelo e desenharam uma cruz de sangue sobre ele. Segundo as autoridades, as freiras causaram um prejuízo de US$ 1.000. As três condenadas tinham até 25 de agosto par ase apresentarem à penitenciária, mas preferiram ir para lá imediatamente.

Agencia Estado,

25 Julho 2003 | 19h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.