Juiz nega transmissão de execução pela Internet

A morte de um dos terroristas mais perigosos dos Estados Unidos não será um show disponível para a Internet, pois um juiz rechaçou um pedido para a transmissão, em 16 de maio, da execução de Timothy McVeigh, autor do atentado de Oklahoma City, perpetrado há exatos seis anos. A empresa Entertainment Network recorreu à Primeira Emenda da Constituição dos Estados Unidos da América, sobre a liberdade de expressão, para obter permissão para instalar uma câmera na sala de execuções da Penitenciária Federal de Terre Haute, Indiana, para transmitir a morte de McVeigh ao vivo pela rede mundial de computadores. Mas um juiz federal determinou que a lei não permite esses atos. David Marshlack, gerente-geral da Entertainment Network, anunciou que apelará da decisão da Justiça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.