Juiz ordena prisão preventiva de suspeito de atentados frustrados

Um juiz do Supremo Tribunal Federal daAlemanha (BGH) ditou neste sábado o ingresso em prisão preventiva de umsuspeito de participar dos atentados fracassados do dia 31 de julhocom malas-bombas em dois trens regionais alemães. Um porta-voz da Promotoria Federal anunciou que o suspeito, oestudante de 23 anos e de origem síria Fadi A.S., é acusado depertencer a uma organização terrorista, tentativa múltipla deassassinato e tentativa de provocar a detonação de uma bomba. O suspeito foi detido nesta sexta-feira na cidade alemã deKonstanz, no estado federado de Baden-Württemberg, e aparentementeestá relacionado com o libanês Youssef Mohamad El Hajdib, de 21anos, um dos dois homens que tentaram colocar as bombas nos trens. El Hajdib, identificado graças às imagens feitas pelas câmaras desegurança das estações de trem, se encontra em prisão preventiva emBerlim. O porta-voz da Promotoria Federal assinalou que osinterrogatórios se concentram agora no segundo suspeito detido noLíbano, um jovem de 24 anos da localidade de Akkar, cuja identidadenão foi divulgada. A detenção deste último suspeito nesta sexta-feira foi possívelgraças às declarações de Jihad Hamad, que se entregou às autoridadesLibanesas. Em uma primeira confissão parcial, Hamad admitiu no Líbano dianteda presença de representantes da Justiça alemã ter colocado uma malacom uma bomba em um trem regional na Alemanha, mas negou conhecerseu conteúdo. O Governo alemão negocia atualmente com as autoridades libanesasa entrega de Hamad à Alemanha, já que não existe tratado deextradição entre estes dois países. Hamad e El Hajdib teriam tentado explodir bombas em um tremregional que se dirigia de Aachen a Hamm e em outro que cobria otrajeto de Mönchengladbach a Koblenz no último dia 31 de julho. As malas-bomba foram ativadas por um detonador a distância edeveriam ter explodido de forma simultânea às 14h30 (9h30 deBrasília). A explosão não ocorreu devido a um erro técnico, o queevitou um possível massacre similar ao dos atentados de 11 de marçode 2004 em Madri e os de 7 de julho de 2005 em Londres. Autoridades alemãs e libanesas estudam a possível relação dossuspeitos com o grupo fundamentalista sunita "Al Tahrir".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.