Bryan Denton/NYT
Bryan Denton/NYT

Juiz ordena varredura imediata em busca de cédulas eleitorais não entregues

Cerca de 300 mil votos já processados ainda não foram confirmados nos locais de entrega

Redação, O Estado de S.Paulo

03 de novembro de 2020 | 17h56

Um juiz americano ordenou nesta terça-feira, 3, uma varredura imediata em 12 distritos postais em busca de cédulas eleitorais não entregues, depois que o serviço postal afirmou que cerca de 300 mil votos recebidos ainda não foram digitalizados.

O caso acontece em uma eleição marcada por um recorde de votos pelo correio, já que muitos eleitores decidiram ficar em casa por conta da pandemia do novo coronavírus, e por acusações de que a modalidade poderia colocar em risco a integridade do resultado.

O juiz, Emmet G. Sullivan, do Distrito de Columbia, ordenou que a varredura começasse antes das 15 horas (horário local, 17 horas no Brasil) para “garantir que nenhuma cédula tenha sido retida e todas as cédulas identificadas sejam enviadas imediatamente para entrega”. Ele disse estar particularmente preocupado com distritos onde há dias o processamento é lento, incluindo Pensilvânia, Filadélfia e Detroit. Ele ordenou que o serviço postal fornecesse informações sobre a varredura até as 16h30.

Cerca de 300 mil cédulas já processadas não tiveram suas entregas aos locais de contagem de votos confirmadas, dizem dados de um tribunal federal em Washington, causando preocupações sobre pontualidade das entregas em distritos decisivos. 

Oficiais do serviço postal informaram que o fato de uma cédula não receber digitalização final antes de sair para entrega não significa que ela não chegou ao local de destino. Uma máquina de escanear cédulas para o processamento final pode às vezes perder cédulas que estão grudadas ou cujos códigos de barras estão borrados. E as cédulas ordenadas manualmente geralmente não recebem uma varredura final antes da entrega.

Todos os Estados exigem que as cédulas pelo correio sejam postadas até o dia da eleição para serem contadas, mas alguns permitem um período de carência para que as cédulas cheguem às mãos dos funcionários eleitorais. A Pensilvânia, por exemplo, tem uma janela de três dias para receber as cédulas, desde que sejam postadas até 3 de novembro. /NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.