Juiz permite gravar execução de McVeigh em vídeo

Um juiz federal permitiu a gravação em vídeo da execução de Timothy McVeigh, em um outro caso de pena capital não relacionado ao do terrorista de Oklahoma City. A decisão judicial, com a qual os defensores de Joseph Minerd tentarão provar que a pena de morte é um castigo cruel e extraordinário, foi emitida nesta sexta-feira pelo juiz Joseph Weis Jr., do Tribunal de Apelações dos Estados Unidos. Os advogados desejam usar o vídeo para demonstrar que o modo como são realizadas as execuções federais violam a proteção constitucional contra os castigos capitais. Promotores do Departamento de Justiça apelarão da decisão judicial, alegando que os regulamentos federais proíbem fotografias ou gravações das execuções. A execução de McVeigh, programada para segunda-feira, em Terre Haute, Indiana, será a primeira aplicação federal da pena de morte desde 1963.O advogado de McVeigh, Chris Tritico, disse que um dos advogados de Minerd o consultou sobre o caso. "Discuti a questão com meu cliente (McVeigh)", disse. "Ele respondeu que não se oporia à gravação, nem a seu uso posterior". A sentença à pena capital contra Minerd foi ditada em Pittsburgo pelo juiz Maurice B. Cohill Jr., por ele ter fabricado uma bomba caseira que causou a morte de sua ex-noiva e a filha dela.Segundo o juiz Weis, a fita poderá ser mostrada ao corpo de jurados, mas sua distribuição está proibida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.