Juiz que deteve Pinochet volta ao banco dos réus

O juiz espanhol Baltasar Garzón, que em 1998 ordenou a prisão do ex-ditador chileno Augusto Pinochet, retornou ontem aos tribunais, desta vez para responder às acusações de ter violado a lei de anistia ao investigar crimes do regime franquista. Garzón havia comparecido na semana passada a um tribunal por supostamente ter efetuado escutas ilegais em uma investigação sobre grupos de direita na Espanha. Ele é acusado por facções de ultradireita e a promotoria espanhola pede que os casos sejam arquivados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.