Juiz recusa pedido de Menem para viajar

O juiz federal que investiga a venda ilegal de armas à Croácia e ao Equador rejeitou nesta sexta-feira uma petição dos advogados defensores de Carlos Menem que sua solicitava permissão para o ex-presidente sair do país, disseram fontes judiciais. Menem foi indiciado no processo sobre venda ilegal de armas e deverá comparecer em 13 de julho perante o juiz Jorge Urso como suspeito de ter sido o chefe de uma organização ilícita que concretizou a operação ilegal entre 1991 e 1995, durante seu período presidencial. Em uma resolução de apenas uma página, Urso rejeitou o pedido da defesa de Menem para que este fosse autorizado a fazer uma viagem de 20 dias à Síria, terra de seus "ancestrais", por falta, segundo as fontes judiciais, de alguns requisitos. Segundo o juiz, o pedido deveria ter sido assinado por Menem e não por seu advogado de defesa, Mariano Cavagna Martínez, e deveria especificar os motivos pelos quais o ex-presidente precisa deixar o país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.