Juiz será investigado em caso do franquismo

ESPANHA

, O Estado de S.Paulo

08 de abril de 2010 | 00h00

Baltasar Garzón (foto), o homem que encarnou nos anos 90 a esperança de Justiça das vítimas do ditador chileno Augusto Pinochet, será mandado ao banco dos réus na Espanha. Por decisão do juiz Luciano Varela, do Tribunal Supremo, Garzón terá de responder por crime de prevaricação, ao supostamente ter violado as leis de anistia do país investigando os desaparecimentos políticos durante a ditadura de Francisco Franco, entre 1939 e 1975.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.