Juiz suspende obrigatoriedade da vacina contra antraz

Por determinação judicial, militares americanos não devem tomar a vacina contra antraz contra sua vontade, a menos que o presidente George W. Bush emita uma ordem específica a esse respeito.Para o juiz Emmet G. Sullivan, o fato é que a vacina talvez não seja eficaz contra a inalação do antraz e ainda esteja em fase experimental para este fim. Ainda segundo o juiz, o rótulo da vacina não especifica contra que tipo de exposição ao antraz ela deve ser ministrada. De acordo com o Pentágono, a vacina - aprovada pelo governo norte-americano há três décadas - é eficaz tanto para casos de inalação quanto de absorção do antraz pela pele. Pela lei de 1998, é proibida a administração de certas drogas experimentais a menos que haja consentimento do paciente ou alguma ordem específica vinda do presidente. O Congresso norte-americano a teria aprovado por receio de que o uso de drogas em fase exeprimental estivesse ligado aos problemas de saúde entre veteranos da guerra de 1991, conhecidos como Síndrome da Guerra do Golfo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.