Juíza diz ter sido estuprada na prisão

A juíza María Lourdes Afiuni, pivô de um dos mais importantes casos de direitos humanos da Venezuela, foi estuprada na prisão e sofreu um aborto, segundo seu advogado, José Amalio Graterol. Ela foi presa em 2009, depois que uma de suas decisões irritou o presidente Hugo Chávez.

O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2012 | 02h04

O advogado disse que ela também sofreu tortura na penitenciária. Desde 2011, a juíza cumpre prisão domiciliar. Autoridades carcerárias negam que ela tenha sido estuprada na prisão. / THE NEW YORK TIMES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.