Juíza evita falar sobre aborto

No terceiro dia de sabatina no Senado, Sonia Sotomayor, indicada por Barack Obama para a Suprema Corte dos EUA, evitou ontem se pronunciar sobre o aborto, apesar da insistência dos senadores republicanos. Ela evitou emitir opinião, argumentando que as perguntas eram sobre casos hipotéticos e disse que não poderia fazer comentários porque processos similares podem chegar ao tribunal supremo.O senador republicano John Cornyn perguntou a Sonia por que após sua indicação, em maio, a Casa Branca teria tranquilizado grupos defensores do aborto com o argumento de que a juíza se inclinava pela causa. "Ninguém me perguntou, nem sequer o presidente, sobre minhas opiniões sobre nenhum assunto específico", respondeu Sonia. A folgada maioria democrata deve garantir a nomeação da juíza para o cargo. Se for confirmada, ela será a primeira latina e a terceira mulher a entrar na Suprema Corte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.