AFP
AFP

Juíza sugere novas linhas de investigação sobre caso Nisman

Fabiana Palmaghini aconselhou promotora responsável pelo caso a investigar mais dados referentes ao apartamento do promotor

O Estado de S. Paulo

28 de janeiro de 2015 | 12h59


BUENOS AIRES - A juíza argentina Fabiana Palmaghini enviou na terça-feira um documento para a promotora Viviana Fein com novas linhas de investigação sobre o apartamento e o carro que usava o promotor Alberto Nisman, encontrado morto no dia 19.

A decisão, segundo o jornal La Nación, ocorreu após Palmaghini atribuir ao técnico de informática Diego Lagomarsino - que faz parte da equipe que investiga o atentado contra a Amia - a entrega da arma usada na morte de Nisman.

Palmaghini determinou que a promotora continue a investigação e sugeriu uma série de medidas, como quebrar o sigilo telefônico do aparelho que havia no apartamento de Nisman e ouvir o depoimento de Lagomarsino, que teria entrado e saído do edifício um dia antes da morte do promotor.

Até o momento, existem dúvidas sobre o momento em que Lagomarsino deixou o edifício Le Parc, depois de levar a arma.

A juíza também sugeriu que sejam colhidos depoimentos dos vizinhos de Nisman. Fein pode acatar ou não as sugestões da juíza.

Tudo o que sabemos sobre:
ArgentinaAlberto NismanAmia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.