EITAN ABRAMOVICH / AFP
EITAN ABRAMOVICH / AFP

Julgamento de Cristina Kirchner por corrupção é adiado para maio

Ex-presidente e atual senadora teve pedido de adiamento negado na semana passada; julgamento começaria no dia 26, mas por problemas de saúde de um juiz ficou para 21 de maio

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de fevereiro de 2019 | 16h39

BUENOS AIRES - Um tribunal da Argentina decidiu nesta segunda-feira, 18, adiar para o dia 21 de maio o início do primeiro julgamento de um caso de corrupção que afeta a ex-presidente do país Cristina Kirchner (2007-2015), que iria começar no dia 26, confirmaram fontes da defesa da atual senadora.

O Tribunal Oral Federal (TOF) 2, encarregado de realizar audiência oral, tomou a decisão de adiar o processo por problemas de saúde de Jorge Alberto Tassara, um dos juízes que integram essa câmara judicial, que foi internado hoje para realizar uma cirurgia de ponte de safena.

Há exatamente uma semana, o TOF 2 tinha rejeitado adiar o julgamento depois que Cristina, viúva do também ex-presidente Néstor Kirchner (2003-2007), pediu uma mudança de data ao considerar que uma instrução suplementar não foi finalizada.

Trata-se do primeiro processo contra a ex-presidente que vai a julgamento, no qual são investigadas supostas irregularidades na concessão, durante o seu governo, de obras públicas ao Grupo Austral, propriedade do empresário Lázaro Báez, na Província de Santa Cruz.

Báez, já detido, é outro dos acusados que deve se sentar no banco dos réus, assim como o ex-ministro de Planejamento Julio de Vido, o ex-secretário de Obras Públicas José López e o ex-subsecretário de Coordenação de Obra Pública Federal Carlos Santiago Kirchner, primo de Néstor.

Cristina - que por ser senadora conta com foro privilegiado e por isso ainda não foi detida - também é acusada em outros processos de alugar para empresários como Báez algumas das suas propriedades imobiliárias a altos preços para supostamente encobrir propinas recebidas pela ex-presidente. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.