Julgamento de ex-mordomo do papa se aproxima da conclusão

Um julgamento que expôs segredos do Vaticano atinge seu clímax no sábado, com as alegações finais antes de os juízes apresentarem seu veredicto no processo contra um ex-mordomo do papa Bento 16.

Reuters

05 de outubro de 2012 | 20h43

Paolo Gabriele, de 46 anos, está sendo julgado desde sábado passado sob um código penal italiano do século 19. Ele poderá se pronunciar imediatamente antes de os três juízes se retirarem para deliberações a portas fechadas.

Como integrante da pequena e seleta "família pontifícia", Gabriele era uma entre menos de dez pessoas que tinham a chave de um elevador que leva diretamente aos aposentos do papa. Ele pode ser condenado a quatro anos de prisão por ter subtraído documentos de lá, num caso que ficou conhecido como "VatiLeaks".

A expectativa é que ele seja de fato condenado. Como não há prisão no Vaticano, ele deve cumprir pena numa penitenciária da Itália.

O ex-mordomo admitiu ser a fonte dos vazamentos de documentos sigilosos, incluindo cartas dirigidas ao papa sobre uma suposta corrupção em atividades comerciais do Vaticano.

Gabriele expressou remorso e pediu o perdão do papa, que poderá isentá-lo de cumprir pena.

(Por Naomi O'Leary e Philip Pullella)

Tudo o que sabemos sobre:
GERALMORDOMOPAPA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.