Oleg Stjepanovic/AP
Oleg Stjepanovic/AP

Julgamento de Ratko Mladic é adiado para 16 de maio

Mladic é acusado de ser o mentor das atrocidades sérvias na Bósnia durante a guerra de 1992-1995

AE, Agência Estado

24 de abril de 2012 | 10h53

Texto atualizado às 16h11

 

HAIA, HOLANDA - Sobreviventes da guerra da Bósnia que esperam há 17 anos o ex-general servo-bósnio Ratko Mladic enfrentar a Justiça terão de esperar um pouco mais. O tribunal iugoslavo de crimes de guerra adiou nesta terça-feira, 24, o início do julgamento de Mladic em dois dias, para 16 de maio. Mladic é acusado de ser o mentor das atrocidades sérvias na Bósnia durante a guerra de 1992-1995.

 

A data anterior teria coincidido com uma audiência para analisar um recurso a favor de dois croatas condenados no ano passado por crimes contra a humanidade.

 

No julgamento de Mladic, a expectativa é que os promotores precisarão de seis horas para expor o caso. Mladic, de 70 anos, nega as acusações e já avisou que não fará uma declaração de abertura.

 

Prisão

 

Mladic foi preso em maio do ano passado perto de Belgrado, quase 16 anos depois de ser indiciado por acusações que incluem genocídio, perseguição e assassinato. Se condenado, ele estará sujeito a uma pena máxima de prisão perpétua.

 

Mladic já enfrentou vários problemas de saúde desde que foi transferido para Haia, na Holanda, incluindo uma cirurgia de hérnia. Nos tempos de fugitivo, ele sofreu pelo menos um AVC e recebeu tratamento por pneumonia e cálculo renal.

 

As informações são da Associated Press

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.