Julgamento de Saddam é adiado até 30 de outubro

O Supremo Tribunal Penal do Iraque, quejulga Saddam Hussein e seis de seus antigos colaboradores pelo crimede "genocídio" contra os curdos do norte do país, decidiu nesta quinta-feira adiaro julgamento até 30 de outubro. O presidente do tribunal, Mohammed Oreibi a-lKhalifa, disse quetomou a decisão para que os acusados entrem em contato com seusadvogados e suspendam o boicote ao processo. A equipe de defesa dos acusados tem boicotado o julgamento emprotesto contra "a intromissão do governo" no processo. Segundo osrepresentantes dos réus, foi essa ingerência que causou adestituição, no mês passado, do antigo juiz do caso, Abdullahal-Amiri, depois que este afirmou que Saddam "não era um ditador". Na audiência desta quinta-feira, a 18ª desde 21 de agosto, quando começo ojulgamento, o tribunal ouviu os testemunhos de dois curdos sobre acampanha de Al-Anfal, lançada entre 1987 e 1988 pelo Exércitoiraquiano contra as regiões curdas do Iraque. Segundo números apresentados pelo procurador-geral do tribunal,mais de 180.000 curdos foram assassinados ou desapareceram nessaofensiva, que ocorreu nos últimos meses da guerra entre oIraque e o Irã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.