Julgamento de Saddam é adiado até o dia 13

A audiência do julgamento do ex-presidente iraquiano Saddam Hussein e de sete assessores do antigo regime foi adiada até o dia 13, informaram fontes judiciais. A decisão foi tomada nesta quinta-feira pelo chefe do Tribunal Especial, o curdo Rauf Abdelrahmán, após ouvir os testemunhos de quatro habitantes da aldeia de Dujail, que relataram como eles e vários de seus parentes tinham sido maltratados e torturados pelos integrantes dos serviços secretos de Saddam.Nenhum dos acusados foi à sessão desta quinta-feira, a décima desde o início do julgamento, em 19 de outubro. O chefe do tribunal acusou os oito réus de não respeitar a corte e, por isso, decidiu prosseguir o julgamento sem se que estivessem presentes.O juiz Abdelrahmán também decidiu nomear novos advogados para defender os acusados em substituição à equipe de defesa que boicota o processo.Saddam Hussein e seus sete colaboradores são julgados pelo massacre de 148 civis xiitas de Dujail, ao norte de Bagdá, após uma suposta tentativa de assassinato do deposto líder iraquiano na região em 1982.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.