Julgamento de Saddam e ex-assessores entra na 3ª sessão

O Tribunal Penal Supremo do Iraque iniciounesta quarta-feira em Bagdá a terceira sessão do julgamento do ex-presidente Saddam Hussein e seis altos funcionários de seu regime porgenocídio contra o povo curdo durante a campanha Al Anfal. Os sete acusados, inclusive Saddam e seu primo, Ali Hassan al-Majid, conhecido como "Ali, o químico", assistem à audiência. Os ex-líderes iraquianos são acusados de genocídio, crimes deguerra e crimes contra a humanidade. A campanha foi realizada pelo Exército de Saddam entre 1987 e 1988 contra o Curdistão, no norte do país, e causou a morte de dezenas de milhares de pessoas. Pouco depois da abertura da sessão desta quarta-feira, o presidente da Corte, o xiita Abdallah al-Ameri, ouviu o testemunho de uma mulher curda sobre a operação. Na segunda sessão, na terça-feira, o sultão Hajem Ahmed, antigo ministro da Defesa e comandante do regimento que combateu no Curdistão durante a campanha, negou ter atacado o povo curdo. Saberal-Douri, ex-chefe dos serviços de Inteligência militar, considerou "não culpados" todos os acusados, inclusive Saddam.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.