Julgamento de Saddam recomeça sem o advogado de defesa

O Tribunal Penal Supremo iraquiano retomou nesta terça-feira o julgamento do ex-presidente Saddam Hussein e de seis de seus antigos colaboradores por genocídio contra os curdos no norte do país, sem a presença do chefe da equipe de defesa, Khalil Duleimi.Fontes ligadas ao processo afirmaram que a sessão desta terça-feira, a 20ª desde o começo do julgamento, em 25 de agosto, contou com a presença de todos os acusados e do comitê da Promotoria Geral. Mas não informaram se o resto da equipe da defesa estava presente.Duleimi abandonou na segunda-feira a sala em protesto porque o presidente do tribunal, Mohammed Oreibi Khalifa, rejeitou um conjunto de pedidos, entre eles a participação de juízes árabes e estrangeiros noprocesso.No início da sessão desta terça-feira, antes do depoimento da primeira testemunha curda, Saddam Hussein entregou um documento ao juiz. Seuconteúdo não foi revelado. O tribunal deve ouvir os testemunhos de vários curdos sobre a operação al-Anfal, lançada pelo Exército iraquiano nas regiões curdas no norte do país entre 1987 e 1988, os últimos dois anos da guerra entre Iraque e Irã.Segundo o Procurador-geral do tribunal, mais de 180 mil curdos foram assassinados ou desapareceram na ofensiva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.