Julgamento do 11/9 é retomado em Guantánamo

Cinco prisioneiros na base naval norte-americana de Guantánamo, em Cuba, e acusados de serem mentores dos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 contra os Estados Unidos, foram levados a um tribunal militar nesta segunda-feira, na própria base, onde começaram a ser julgados. Os cinco homens, entre os quais está Khalid Sheikh Mohammed, escutaram em silêncio as acusações e pareciam cooperar com o tribunal. A aparente cooperação dos cinco foi um contraste com a sessão de maio, quando eles gritaram no tribunal, se recusaram a usar o sistema de tradução árabe-inglês e fizeram uma prece conjunta.

AE, Agência Estado

15 de outubro de 2012 | 17h01

O advogado de defesa de um dos acusados, Ramzi Binalshibh, disse que os cinco poderão não cooperar em audiências futuras - eles não reconhecem a autoridade do governo norte-americano. O advogado, Jim Harrington, disse que os cinco também estão ressentidos com o duro tratamento que sofrem em Guantánamo, para onde foram levados em setembro de 2006. O coronel do Exército dos EUA James Pohl, que é promotor no caso, disse que os cinco não precisarão assistir às sessões nesta semana - o julgamento ainda está na fase de instrução.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.