AFP PHOTO / UMBERTO PIZZI
AFP PHOTO / UMBERTO PIZZI

Julgamento dos acusados de publicarem documentos secretos do Vaticano é adiado

Audiência foi suspensa até o dia 7 de dezembro em razão do pedido da advogada da acusada Francesca Chaouqui, que solicitou cinco dias para preparar o caso

O Estado de S. Paulo

30 de novembro de 2015 | 10h35

CIDADE DO VATICANO - O julgamento dos acusados de publicar documentos secretos do Vaticano foi suspenso nesta segunda-feira, 30, até o dia 7 de dezembro, atendendo ao pedido da nova advogada de um dos acusados, Francesca Chaouqui, que solicitou cinco dias para preparar o caso.

A sessão de hoje durou 13 minutos e a advogada Laura Sgrò, nomeada por Francesca em 27 de novembro, pediu tempo necessário para apresentar o pedido, que não foi contestado pelo promotor de Justiça da Santa Sé, Gian Piero Milano.

Após uma reunião de dez minutos, os membros do tribunal decidiram conceder cinco dias à defesa para dar tempo à apresentação de outros possíveis pedidos, e suspenderam a audiência até a próxima segunda-feira.

Assim como na primeira audiência, realizada em 24 de novembro, estiveram nesta segunda-feira no Tribunal do Vaticano os cinco acusados de publicaram documentos reservados da Santa Sé e seus advogados.

Somente Francesca, ex-colaboradora da extinta Comissão Investigadora dos Organismos Econômicos e Administrativos da Santa Sé (Cosea), havia renunciado a sua advogada anterior.

Pelo chamado caso "Vatileaks2" estão no banco dos réus o sacerdote espanhol e ex-secretário da Cosea, de onde vem a maior parte dos documentos divulgados, Lúcio Vallejo Balda, o ex-colaborador Nicola Maio e os jornalistas que publicaram os documentos em livros, Gianluigi Nuzzi e Emiliano Fittipaldi. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.