Julgamento por assassinato de garota começa na Flórida

Começa nesta segunda-feira a escolha do júri no caso de John Evander Couey, acusado de raptar, estuprar e enterrar viva uma garota de 9 anos de idade no estado americano da Flórida.O réu é acusado de assassinato de primeiro grau e pode encarar a pena de morte se declarado culpado pelo repudiado crime cometido em 2005, onde a jovem Jessica Lunsford perdeu a vida. A morte da garota incitou uma repressão nacional contra transgressões sexuais.A garota foi seqüestrada de seu quarto, em Homosassa, cidade central da Flórida, em fevereiro de 2005. Couey, que vivia nas redondezas, confessou sua culpa e disse à polícia onde achar o corpo. A fita com sua confissão não pode ser usada, pois os investigadores continuaram questionando-o mesmo após Couey ter requisitado a presença de um advogado.Lunsford foi encontrada por policiais em uma cova rasa atrás da casa móvel onde Couey vivia. A garota teria sido colocada em um saco de lixo e enterrada viva. Legistas afirmar que ela morreu sufocada e investigadores acharam sangue da garota no quarto de Couey.O assassino confesso estava em liberdade condicional por envolvimento com drogas. Foi chamado para depôr após considerado culpado por assediar uma garota de 5 anos de idade. O Xerife de Citrus County, Jeffrey Dawsey, o descreveu como um "verdadeiro pedaço de lixo".O caso teve grande exposição na mídia e inspirou a Flórida a decretar a "Lei da Jéssica", que designa longas sentenças e monitoramento perpétuo via posicionamento global para culpados por molestar crianças com menos de 12 anos. Outros estados também introduziram novas legislações para casos semelhantes.O julgamento saiu de Citrus County, onde Jéssica morreu, indo para Miami, quando provaram ser impossível montar um júri imparcial no local. Os advogados de defesa pretendem argumentar que Couey tem problemas mentais, que o livrariam da pena de morte caso declarado culpado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.