Juncker é o candidato conservador à Comissão Europeia

O ex-primeiro-ministro de Luxemburgo, Jean-Claude Juncker, será o candidato conservador à presidência da Comissão Europeia, braço executivo da União Europeia (UE) e única instituição do bloco com poder de propor novas leis.

AE, Agência Estado

07 de março de 2014 | 17h09

Juncker obteve 61% dos votos dos delegados do Partido Popular Europeu (PPE), de centro-direita, vencendo o concorrente Michel Barnier, atual presidente da Comissão para o Mercado Interno da UE.

Em seu discurso aos delegados do PPE, Juncker reforçou o seu histórico como líder de Luxemburgo e presidente do grupo de ministros das Finanças da zona do euro no auge da crise da dívida do continente. "Eu fiz tudo que estava ao meu alcance para evitar uma catástrofe", afirmou. "Até hoje, eu estou orgulhoso de que tenha conseguido derrotar os especuladores dentro e fora da Europa."

Juncker afirmou que, se eleito presidente da Comissão Europeia, irá "construir pontes" entre os diversos membros do bloco. "Eu sou alérgico a todas as divisões em norte e sul, grandes e pequenos, ricos e pobres", disse aos delegados do PPE.

O principal concorrente de Juncker para o cargo de presidente da Comissão Europeia será o atual presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, candidato do Partido Socialista Europeu (PSE), de centro-esquerda.

De acordo com o novo tratado da União Europeia, em vigor desde 2009, o presidente da Comissão Europeia deverá ser o candidato do partido vencedor das eleições parlamentares do continente, que ocorrem em maio. Até hoje, o chefe do executivo era nomeado pelos chefes de Estado da UE em reuniões a portas fechadas. Ao parlamento cabia apenas concordar, ou não, com essa decisão. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Europajunckercomissão europeia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.