Junta convida relator da ONU a visitar Mianmar em novembro

Entrada de Paulo Sergio Pinheiro no país foi vetada por quatro anos pelo governo

Efe,

23 de outubro de 2007 | 02h15

A Junta Militar birmanesa convidou o relator especial da ONU para os Direitos Humanos em Mianmar, Paulo Sergio Pinheiro, a visitar o país no próximo mês, depois de vetar sua entrada durante quatro anos. Segundo um comunicado divulgado nesta terça-feira, 23, pelo órgão, o ministro de Relações Exteriores de Mianmar, Nyan Win, enviou uma carta ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon. O documento sugere que a visita aconteça antes da cúpula da Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean), em Cingapura, na terceira semana de novembro. Pinheiro vai ao país antes do enviado especial da ONU para Mianmar, Ibrahim Gambari, que vai intermediar o diálogo entre a Junta Militar e a oposição. O relator não era autorizado a visitar Mianmar desde 2003, quando interrompeu repentinamente a sua missão no país após descobrir microfones ocultos quando conversava com presos políticos. A Junta Militar admite que 10 pessoas morreram durante a repressão aos protestos em setembro. Mas os grupos da dissidência calculam que o número de mortos chega a cerca de 200 e que os detidos são bem mais de 6 mil.

Tudo o que sabemos sobre:
Mianmarprotestomonges

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.