Junta militar anuncia fim de estado de emergência que durava três décadas

A lei de emergência no Egito, em vigor há 31 anos, chegou ao fim ontem, informou o governo militar em comunicado, no qual também promete continuar a "proteger" a nação. No período de exceção, a polícia tinha amplos poderes para deter pessoas. Ao longo dessas três décadas, ocorreram várias acusações de abusos aos direitos humanos no Egito. A junta militar que governa o país desde a queda do presidente Hosni Mubarak, em fevereiro do ano passado, havia indicado que não tinham intenção de renovar a lei. O Exército egípcio afirmou que permanecerá encarregado da segurança do país até que o novo presidente seja eleito. A lei foi imposta por Mubarak após o assassinato do presidente Anwar Sadat, em 1981, e vinha sendo renovada de tempos em tempos. A última vez que a legislação foi prorrogada foi em maio de 2010.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.