Junta militar assume poder formal na Tailândia

Os líderes do golpe de Estado contra o deposto primeiro-ministro da Tailândia, Thaksin Shinawatra, foram formalmente nomeados membros do novo governo, denominado Conselho Administrativo para a Reforma, com a aprovação real. A nomeação oficial foi transmitida ao vivo por todos os canais de televisão do país. Na quarta-feira, o rei da Tailândia, Bhumibol Adulyadej, aprovou a nomeação do general Sondhi Booyaratglin como presidente desse conselho. A junta militar é formada pelo general Sondhi, chefe do Exército; pelo general Ruangroj Mahasaranond, comandante supremo das Forças Armadas; pelo general Chalit Pukpasuk, chefe da Força Aérea; e pelo almirante Sathiraphan Keyanon, chefe da Marinha. Outros integrantes do Conselho são o general Kowit Wattana, diretor da Polícia Nacional, e o general Winai Pattariya, secretário-geral do Conselho Nacional de Segurança. "Em nome da estabilidade do país, pedimos ao povo que se comporte e obedeça às instruções do general Sondhi", disseram os líderes militares num comunicado que foi lido durante a cerimônia, com um retrato do rei ao fundo. A cúpula militar, após o golpe de Estado da terça-feira, aboliu a Constituição e dissolveu a Corte Suprema, entre outras medidas. A junta militar proibiu todas as atividades políticas, inclusive reuniões dos partidos legalmente constituídos. Estão proibidas as reuniões de mais de cinco pessoas. Shodi anunciou que em no máximo duas semanas nomeará um governo provisório, que exercerá o poder durante um ano, e que convocará eleições legislativas para outubro de 2007.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.