Junta militar do Egito declara estado de emergência

Cerca de 30 manifestantes entraram na Embaixada israelense e jogaram documentos pela janela

estadão.com.br,

09 Setembro 2011 | 21h47

Atualizado às 22h52

 

CAIRO - A junta militar do Egito declarou estado de emergência no país na madrugada do sábado, 10, pelo horário local, após a Embaixada de Israel no Cairo ter sido invadida por manifestantes na noite da sexta-feira.

 

Veja também:

linkEmbaixador de Israel deixa o Egito, diz TV estatal

linkMultidão invade a Embaixada de Israel no Cairo

 

De acordo com a Efe, uma fonte ligada às forças de segurança no Egito disse à agência estatal de notícias Mena que o ministro do Interior da junta militar, Mansur Esaui, ordenou um estado de alerta no país "para controlar a situação na região", onde pelo menos 448 pessoas ficaram feridas em choques entre manifestantes e policiais.

 

A mesma fonte disse à TV estatal que Esaui teria enfatizado a importância de controlar os protestos e o seu compromisso com a lei.

 

Segundo a emissora Al-Jazeera, a junta militar pediu uma reunião de emergência do gabinete de crises para o sábado.

 

Aguarde mais informações

Mais conteúdo sobre:
EgitoIsraelembaixada

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.