AP
AP

Junta Militar egípcia confirma que deixará poder em 30 de junho

Militares garantem que atenderão às reivindicações de ativistas e grupos críticos ao atual Governo

25 de janeiro de 2012 | 11h52

CAIRO - A Junta Militar egípcia afirmou nesta quarta-feira, 25, que deixará o poder em 30 de junho, após a realização de eleições presidenciais, e prometeu revelar então 'os segredos e verdades' anteriores à revolução, movimento que neste dia completa um ano.

Veja também:

linkEgito suspenderá estado de emergência na quarta-feira, diz governo

especialMAPA: A revolta que abalou o Oriente Médio

mais imagens OLHAR SOBRE O MUNDO: Imagens da revolução

tabela ESPECIAL: Um ano de Primavera Árabe

Em comunicado, o Conselho Supremo das Forças Armadas, máxima autoridade do país, ressaltou que deixará os quartéis para se dedicar somente a defender 'a terra, o céu e o mar do Egito', como reivindicam ativistas e grupos políticos críticos ao atual papel de Governo. 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Primavera ÁrabeCairoEgito

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.