Junta militar tailandesa apresenta constituição e premier interino

A junta militar da Tailândia apresentouNesta sexta-feira ao rei Bhumibol Adulyadej a constituição temporária e o nome doseu candidato a primeiro-ministro interino, o general da reservaSurayud Chulanont. A nomeação de um primeiro-ministro interino e a entrada em vigorda Carta Magna são os dois primeiros passos do "processo de reforma"da junta militar que derrubou o primeiro-ministro ThaksinShinawatra. "O novo chefe de governo é uma pessoa muito conhecida e digna derespeito", declarou o chefe da junta, general Sonthi Boonyaratglin. Embora o Conselho para a Reforma Política, denominação oficial dajunta militar, mantenha o silêncio sobre a identidade do futuroprimeiro-ministro interino, a imprensa e altos funcionários daadministração afirmam que o escolhido é o general Chulanont,ex-chefe das Forças Armadas e membro do conselho privado do Rei. A auditora geral do Estado, Jaruvan Maintaka, que recebeu atarefa de investigar a suposta corrupção atribuída a Shinawatra eseu governo, declarou, segundo a rádio nacional, que a junta militardecidiu por consenso que o general Chulanont ficará à frente dogoverno interino. Chulanont, de 63 anos, é considerado um dos ex-chefes militarescom melhor reputação. Segundo os analistas, ele dispõe de um amploapoio nas camadas militares, que se dividiram e voltaram a sepolitizar no Governo de Shinawatra. Em 1998, o então primeiro-ministro Chuan Likpai, líder do PartidoDemocrata, nomeou o general Chulanont chefe do Exército. No cargo,ele promoveu o "expurgo da máfia militar", a fim de retirar doserviço os militares corruptos. Mais tarde, em agosto de 2003, ele se opôs a Shinawatra, quequeria nomear militares próximos a seu grupo político parapostos-chave do Exército. Foi transferido então para o posto dechefe das Forças Armadas, meramente protocolar, que ocupou até suaaposentadoria, poucos meses depois. O general Chulanont, entre outras iniciativas, foi o primeiro aenviar tropas da Tailândia para missões de pacificação da ONU. Esta semana, o ex-comandante admitiu que estava disposto aaceitar a chefia de governo. Ele expressou a sua preocupação com apossibilidade de choques violentos entre grupos a favor e contraShinawatra. A junta militar deve anunciar durante o fim de semana apromulgação da nova constituição e a nomeação do primeiro-ministroInterino. Shinawatra foi deposto no dia 19 de setembro. Após o golpe deEstado, a junta militar declarou a lei marcial, suspendeu aconstituição, proibiu as atividades políticas e impôs a censura aosmeios de comunicação. O primeiro-ministro deposto se encontra noReino Unido. Com o aparente propósito de isolar os adeptos de Shinawatra, ajunta militar aprovou na sexta-feira uma ampla e imediata reformanos quadros de comando das Forças Armadas, trocando um total de 612chefes, em sua maioria generais do Exército.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.