Júri civil inocenta acusado de terrorismo

GUANTÁNAMO

, O Estado de S.Paulo

18 de novembro de 2010 | 00h00

O primeiro detento da prisão da base de Guantánamo a enfrentar um júri civil, o tanzaniano Ahmed Khalfan Ghailani, de 36 anos, foi inocentado ontem das acusações de terrorismo por um tribunal federal em Nova York. Ele foi condenado apenas por destruir ou danificar propriedade pública. Ghailani era acusado de participar dos atentados da rede terrorista Al-Qaeda às embaixadas americanas na Tanzânia e no Quênia, em 1998, que deixaram 224 mortos. O julgamento é um teste para a intenção do governo do presidente Barack Obama de levar acusados de terrorismo presos na base à justiça civil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.