AFP
AFP

Júri começa a decidir se condenará autor de atentado de Boston à morte

Na primeira fase do julgamento, Tsarnaev já foi considerado culpado das três mortes causadas pelas duas bombas caseiras que colocou junto com seu irmão na linha de chegada da maratona

O Estado de S.Paulo

13 de maio de 2015 | 20h01

WASHINGTON - O júri que deve decidir se condena à morte ou à prisão perpétua o réu Dzhokhar Tsarnaev, declarado culpado pelo atentado de Boston, começou a deliberar nesta quarta-feira, 13, depois da exposição das conclusões finais da acusação e da defesa, no último dia do julgamento.

Os 12 membros do júri, sete mulheres e cinco homens, terão de decidir se, como sustenta a defesa, o acusado se deixou influenciar por seu irmão mais velho, Tamerlan, na hora de colocar as bombas ou se quis provocar a maior destruição possível em nome da jihad, como alega a promotoria. A decisão precisa ser unânime. 


Esses fatores, agravantes ou atenuantes para decidir a pena, protagonizaram a rodada de argumentos finais de hoje, nos quais o promotor Steven Mellin pediu para Tsarnaev uma sentença de morte por considerá-lo um terrorista que queria "matar tanta gente quanto fosse possível".

"O acusado pôs uma mochila atrás das crianças e esperou...Ele não se importava em matá-los (...) porque já tinha chegado à conclusão que matar inocentes estava justificado", declarou Mellin, que durante a audiência mostrou fotos das vítimas e uma nota que foi achada no esconderijo onde Tsarnaev foi achado.

Na confissão escrita, o acusado dizia: "Eu não gostaria de matar pessoas inocentes, mas neste caso está justificado".

Por sua vez, a advogada de defesa, Judy Clarke, argumentou que a história de Dzhokhar, de 21 anos, não pode ser entendida sem seu irmão mais velho Tamerlan, morto na perseguição policial posterior ao atentado, e exerceu uma "grande influência" sobre o irmão até o ponto que Dzhokhar lhe chamava de "professor".

"Uma pena de prisão perpétua não desonra as vítimas de nenhuma forma", defendeu Clarke, reforçando que a prisão de segurança máxima em Florence (Colorado) na qual Dzhokhar seria aprisionado "não é um centro de férias".

Na primeira fase do julgamento, Tsarnaev já foi considerado culpado das três mortes causadas pelas duas bombas caseiras que colocou junto com seu irmão na linha de chegada da Maratona de Boston, assim como da morte do policial do Instituto Tecnológico de Massachusetts (MIT), Sean Collier.

Os Tsarnaev mataram este policial do MIT durante uma perseguição na qual os irmãos lançaram explosivos, protagonizaram tiroteios e submeteram Boston e seus arredores a um toque de recolher de 24 horas.

Para ser enviado ao corredor da morte, os 12 membros do júri devem chegar a um veredito unânime e, se não conseguirem, o magistrado George A. O'Toole Jr, encarregado do caso, imporá a Tsarnaev a prisão perpétua sem possibilidade de revisão de pena.

A pena de morte contra Tsarnaev foi solicitada na esfera federal. No Estado de Massachusetts ela foi abolida nos anos 80. Caso Tsarnaev receba esta condenação ele terá de ser executado em outro Estado. / EFE 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.