Júri começa hoje a discutir destino do médico de Jacko

Os jurados do doutor Conrad Murray começariam hoje a deliberar sobre a acusação de homicídio culposo contra o médico pessoal de Michael Jackson, morto em junho de 2009 depois de uma overdose de propofol. Hoje será o primeiro dia de deliberações. O júri é composto por sete mulheres e cinco homens.

Agência Estado

04 de novembro de 2011 | 13h32

Na quinta-feira, os jurados ouviram da promotoria que Murray era um médico "incompetente e oportunista" que estava fornecendo o anestésico propofol ao artista para ajudá-lo a dormir. Da defesa, os jurados ouviram que o astro pop foi o responsável pela própria morte e que, quando aceitou ser seu médico pessoal, Murray não estava ciente da dependência química de Jackson.

Qualquer veredicto tem que ser unânime no caso. Se condenado, Murray poderá ser condenado a até quatro anos atrás das grades e perderá a licença médica. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAMichael Jacksonmédicojulgamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.