Júri condena assassino de apresentadora da BBC

Barry George, um homem conhecido por sua obsessão por celebridades, foi sentenciado nesta segunda-feira à pena de prisão perpétua pelo assassinato em 1999 de Jill Dando, uma personalidade da televisão britânica.Dando, que morreu com 37 anos, era apresentadora de um programa sobre crimes na British Broadcasting Corp. (BBC). Ela foi morta em frente à sua casa, na região oeste de Londres, com um tiro na cabeça. A morte de Dando despertou um grande interesse em todo o país e foi seguida de perto pela mídia local.O corpo de jurados, formado por seis mulheres e cinco homens, considerou George, de 41 anos, culpado, depois de deliberar por mais de 30 horas. A votação contra George foi de 10 a 1.O advogado de George, Michael Mansfield, argumentou que o caso contra o seu cliente não tinha sustentação legal. Segundo ele, os promotores não conseguiram comprovar que o réu tinha interesse especial em Dando ou qualquer razão para matá-la.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.