Júri condena grupo por tentativa de atentado nos EUA

Quatro homens foram condenados hoje, nos Estados Unidos, por organizar um plano terrorista, cujo objetivo era explodir uma sinagoga em Nova York e derrubar aviões militares. O grupo acabou descoberto pela polícia federal dos EUA (FBI) e foi considerado culpado, nesta segunda-feira, após uma semana de julgamento por um júri composto por doze cidadãos americanos. Os quatro aguardam agora a sentença e podem pegar até prisão perpétua.

AE-AP, Agência Estado

18 de outubro de 2010 | 18h18

Os promotores acusaram James Cromitie, de 53 anos, de ter elaborado o plano, descoberto por um informante do FBI. A polícia também descobriu que Cromitie recrutou três agentes para dispararem foguetes contra aviões militares de carga, no Aeroporto Internacional Stewart, em Newburgh. Todos foram presos em maio de 2009.

Cromitie e David Williams foram considerados culpados de todas as acusações, inclusive conspiração e tentativa de usar uma arma de destruição em massa. Onta Williams e LaGuerre Payen foram condenados em sete das oito acusações. Eles foram absolvidos apenas da acusação de conspirar para matar funcionários do governo dos EUA.

O informante ajudou o FBI a gravar centenas de horas de fitas que foram exibidas no julgamento. A defesa argumentou que o governo americano preparou uma armadilha e enganou seus clientes, por meio de um informante pago, Shared Hussain. O juiz, contudo, negou o pedido de um novo julgamento. Com informações da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.